Os próximos Jobs

 

O visionário 21 será algum dia substituído no posto de sonhador-chefe do planeta, ou nenhum outro executivo está perto de alcançar algo parecido com o grande líder da Apple?

Confesso que fiquei extremamente contente com a última edição da revista HSM que traz algumas matérias envolvendo Jobs. Como vocês sabem, sou um fã declarado desse executivo que mesmo depois de morrer, continua a influenciar tantas pessoas.

Leiam também o artigo: A computação pós-Job

Muitos acreditam que não haverá alguém para substituí-lo, contudo há especialistas do meio empresarial esperançosos por aí e que inclusive, já apontam nomes que podem assumir o posto de mentor da inovação, deixado por Jobs. Eles são: Jeff Bezos, da Amazon; Elon Musk, da Tesla; e Travis Kalanick, do Uber.

Como afirma a reportagem da HSM, “o primeiro reinventou o varejo (com a Amazon) e a indústria de livros (com o Kindle) e vem mudando a computação pessoa de modo indireto, com sua computação em nuvem. O segundo caminha para reinventar a indústria da energia (com a bateria elétrica doméstica Tesla alimentada pela energia solar da Solar City) e o ato de dirigir (com seu carro elétrico Modelo S)”. Já o fundador e CEO do Uber, está reinventando nada menos que a mobilidade urbana.

Apesar de obviamente cada um possuir um estilo próprio, há semelhanças entre esses executivos e Steve Jobs. Por exemplo, Bezos também é focado na experiência dos clientes e preocupado com os detalhes/design; Musk possui o mesmo lado marqueteiro com seus produtos e o grande suspense com lançamentos; enquanto Kalanick prioriza recrutar os melhores talentos e assim como Jobs, possui usuários fanáticos em seu negócio.

Ter grandes mentores em qualquer tipo de negócio realmente faz uma diferença enorme. Todas as personalidades citadas no texto são sem dúvida percussores de grandes feitos e sem dúvida, possuem capacidade para revolucionar muita coisa pela frente. Eu não descarto a possibilidade de existir alguém que ocupe a posição de Jobs, não precisa propriamente ser no momento atual, mas quem sabe que vai pertencer as novas gerações, já tão familiarizadas com a tecnologia. E em sua opinião, quem você imagina que pode sentar nessa cadeira que já há alguns anos permanece vazia?

 

 

 

*Assunto baseado na reportagem da revista HSM

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU