Nasce no Brasil o Facebook do agronegócio

 

Uma plataforma on-line de conteúdo lançada no ano passado pela Bayer já conseguiu alcançar resultados surpreendentes. Um case que serve de inspiração para qualquer outro setor.

Com R$ 100 milhões em investimentos a Bayer fundou em 2015 a Rede AgroServices, um modelo baseado em cinco pilares: acesso à informação, ambiente de colaboração, caráter de rede social, marketplace de negócios e prestação de serviços.

A proposta é conectar diferentes nichos do agronegócio, como a indústria, pesquisadores, distribuidores, cooperativas, fornecedores, jornalistas, entre outros. Ela funciona praticamente como a rede de Mark Zuckerberg, podendo circular fotos, vídeos, relatórios, assim como grupos abertos e fechados.

A primeira ação ao desenvolver o projeto foi segmentar os produtores entre os com perfil de inovadores, focados no corte de custos, demandantes de financiamento e aqueles voltados para o distribuidor. O próximo passo foi construir menus de serviço com o acúmulo de pontos. Eis aqui um diferencial da rede: uma moeda própria. – É um programa de fidelidade pelo acúmulo de pontos (1 real = 1 ponto), que podem ser trocados por produtos da Bayer ou por serviços de parceiros.

Segundo a reportagem da revista HSM, a Bayer espera três ganhos com a iniciativa:

  • 1º – A plataforma com sua moeda própria leva a fidelização dos produtos e dos parceiros.
  • 2º – Permite à empresa ter uma percepção mais rápida de quais são as necessidades dos clientes, o que possibilita uma vantagem para desenvolver novos produtos e serviços.
  • 3º – Visibilidade da subsidiária brasileira na matriz é impactada.

De 2015 até agora a AgroServices já movimentou mais de R$ 100 milhões em negócios em pontos, tem cadastrado 59 mil produtores pequenos e médios, 450 grandes, 320 distribuidores e 116 cooperativas. Ao todo 110 prestadores oferecem 250 tipos de serviços dentro da rede.

A ideia de fomentar um ambiente para unir os elos de um setor é atrativa também para diversos outros mercados. Um meio que agrega diferentes agentes torna propício o desenvolvimento de novos negócios e oportunidades, além de facilitar o contato e o acesso à informação daquela área. Quem está por trás da iniciativa pode gerar ganhos ainda mais altos, como vimos no exemplo da Bayer. A sua área de atuação possui algo similar? É válido ressaltar a importância de atuar nessas redes, e se esse não for o caso, quem sabe não seja você o facilitador desse ambiente.

 

 

 

*Assunto baseado na reportagem da revista HSM

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU