Ciência, Tecnologia e Inovação como estratégia para o crescimento

Como crescer e nos tornamos mais competitivos?

O campo da Ciência, Tecnologia e Inovação formam um pilar essencial quando há intenções de elevar a economia de um país e torná-lo competitivo no cenário internacional.

A vanguarda do avanço científico mundial se reflete nos melhores índices de desenvolvimento econômico. Países como Estados Unidos, Japão e Alemanha já experimentaram uma terceira revolução industrial, na qual há a dinâmica da inovação em todos os seus processos, acompanhado de alta tecnologia e disseminação do conhecimento.

Repensar a economia brasileira protagonizando nosso país com altas taxas de crescimento e competitividade no cenário internacional passa indubitavelmente por políticas públicas efetivas no campo da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O Brasil, em sua liderança como exportador de commoditie, deve agregar valor em seus pontos fortes e desenvolver mais vocações. Precisamos alterar nossos padrões de organização, ter mais produtividade, sermos mais ecoeficientes, incentivar à pesquisa e a educação de qualidade combinadas à difusão deste conhecimento gerado.

Todo este ciclo de Ciência, Tecnologia e Inovação muda nossa rota de desenvolvimento e nos torna mais competitivos no cenário mundial ao nos gabaritar para uma nova perspectiva de desenvolvimento social, pois há a valorização e o reconhecimento do talento local, assim como de todas as nossas potencialidades naturais.

Diante deste contexto, o Governo de Goiás passou na frente e já inseriu Ciência, Tecnologia e Inovação como prioridade no eixo condutor da economia no Estado. A Secretaria referente a esta pasta ocupa lugar de destaque e tem papel aglutinador em políticas públicas sistêmicas e estratégicas. Em eixos centrais, temos instrumentos de mudança em pleno funcionamento no Estado que hoje inspiram outros governos.

 

Projetos dirigidos

Como destaques temos projetos que articulam Ciência, Tecnologia e Inovação com os setores produtivos como é o Programa Goiano de Parques Tecnológicos (PGTEC), que tem por finalidade incentivar a implantação de espaços em que convivam empresas, universidade e segmentos de apoio à inovação e a pesquisa científica. As companhias que decidirem se instalar nestes complexos terão redução de 80% no valor dos Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) – benefício acima dos 73% concedido pela lei geral do principal programa de financiamento do Estado para indústrias, o Produzir.

pq-tecnologico-499x256Anápolis terá o primeiro Parque Tecnológico Multissetorial do Centro-Oeste no qual ocupará uma área de aproximados seis milhões de metros quadrados. A construção do parque tecnológico transformará a área em um dos maiores e mais modernos distritos agroindustriais do Brasil, o que reflete a parceria bem-sucedida entre o Governo e a iniciativa privada. Os parques de Jataí, Itumbiara e Aparecida de Goiânia estão em fase de pré-credenciamento. Também já deram início as obras do Parque Tecnológico da Universidade Federal de Goiás em Goiânia (GO).

Goiás também é referência no país no que se refere ao desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais (APLs) – um dos modelos de projetos de ciência e tecnologia aplicada à vocação de cada região, em parceria com o setor produtivo. Desde 2011 e até o final de 2014, os investimentos (em forma de custeio e capital) na estruturação dos APLs do Estado somam R$ 58 milhões. A estimativa do Governo do Estado é de que mais de 100 mil trabalhadores e pequenos produtores goianos sejam beneficiados, direta ou indiretamente.

 

Educação que eleva à qualificação

Educação com qualidade também é prioridade para um governo que finca suas bases em inovação. Neste sentido, comemora-se os resultados do Bolsa Futuro – maior programa estadual de qualificação profissional do país – que já qualificou mais de meio milhão de goianos em todos os setores da economia, o que deve se constituir, proporcionalmente, no melhor resultado do país.

O Governo do Estado tem uma preocupação adicional com a população de baixa renda. Para tanto, foram reservadas 200 mil vagas para integrantes de famílias beneficiárias de programas de transferência de renda (Bolsa Família e Renda Cidadã).  A eles, além dos cursos totalmente gratuitos, há um repasse mensal de R$ 75 durante a vigência do curso. Também os pertencentes a famílias com renda per capita de até R$ 140 por mês recebem o benefício. Nessa modalidade, já foram certificados 152 mil goianos.

 

Inclusão Digital

Goiás Conectado é o programa do Governo do Estado que concede isenção de impostos para que as operadoras disponibilizem planos de internet banda larga pelo valor de R$ 30,00. Tal incentivo permitiu que os cidadãos contratassem esses serviços e estivessem conectados dentro de suas casas.

Com o Goiás Conectado, as operadoras passaram a disponibilizar velocidades maiores por preços menores. Hoje, todos os municípios goianos têm acesso à internet banda larga por um preço considerado popular.

O número de domicílios goianos com internet cresceu 54% entre maio de 2011 e dezembro de 2013. Hoje são mais de 635 mil residências conectadas e mais de 1 milhão e 700 mil cidadãos que têm acesso à web no Estado de Goiás.

Aqui cabe com destaque, a Rede Metropolitana de Goiânia (MetroGyn) que corresponde à rede de fibra óptica de alta velocidade que interliga os principais órgãos do Governo de Goiás. São 70 quilômetros de extensão de cabo óptico. A MetroGyn alcança 31 unidades administrativas do Governo de Goiás, o que inclui centros exclusivos ao atendimento da população como o VaptVupt do Palácio Pedro Ludovico Teixeira e o prédio do Ipasgo. A velocidade da internet destes órgãos estaduais que estava entre 1 e 10 megabytes (Mbps) aumentou para 10 gigabytes (Gbps) por segundo, o que permite um acesso de 100Mbps em um computador pessoal. Toda esta tecnologia reflete em atendimentos com mais agilidade e menos burocracia. Um governo inovador deve ser o exemplo de eficiência e presteza.

 

Difusão da Informação

Goiás de maneira ousada e pretensiosa lançou o Sistema Goiano de Inovação (SIGO) – uma plataforma on-line que é o inventário do capital intelectual do Estado de Goiás. No SIGO estão todas as informações relativas à ciência e tecnologia. Quais as pesquisas desenvolvidas, números de doutores e mestres – um verdadeiro mapeamento da inteligência goiana. Nele estão integrados segmentos empresariais, governamentais, além de instituições de ensino e pesquisa, promovendo o desenvolvimento sustentável e tecnológico do Estado.

 

Importantes passos

Aqui estão citados somente alguns dos principais projetos do governo que já iniciou uma transformação no Estado, modernizando toda sua base tecnológica e científica, com foco no alcance de resultados a médio e longo prazo. É preciso enaltecer as parcerias sólidas entre iniciativa privada, gestão pública e as academias numa perspectiva de alianças harmoniosas, duradouras e prósperas. Tudo feito de maneira inteligente e estratégica, mas também com imensa vontade de continuar a mudança no Estado e desempenhar papel impactante em nossa nação para que todos juntos possamos ser mais competitivos. Este é um grande desafio, talvez o maior de todos no que se refere à recuperação de uma economia, mas que já se sinaliza como o melhor caminho.

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU