Steve Jobs não morreu

Há muito sou usuário dos produtos Apple. Acompanhei a evolução: primeiro um iPod, depois um iMac, iPhone e por fim um iPad, em que este já foi substituído da primeira pela segunda versão. Quem já escolheu seu primeiro produto com a marca da maçã, provavelmente já sonhou ou até mesmo adquiriu outro produto da Apple.

Os números comprovam que a empresa tem índice de satisfação altíssimo. O dado de aprovação do iPhone é cerca de 73%, assim como o iPad que chega a 95%. Apesar dos valores financeiros, acima da concorrência, a experiência com os produtos Apple é única e, acima de tudo, surpreendente ao alinharmos sua origem ao idealizador Steve Jobs.

Dentro da Apple, Jobs, além de CEO da marca, era o responsável por escolher e orientar o desenvolvimento dos produtos, nesta linha, conseguiu superar tudo que já existia no mercado. A cada dois ou três anos surgia uma grande inovação, que revolucionava a interação do ser humano com a máquina, por isto, Jobs era o precursor das tendências tecnológicas.

Com o Mac, Steve Jobs revolucionou a indústria de computadores, trazendo-os para o convívio das pessoas, dentro de seus lares, isto por que a tecnologia, de acordo com os padrões da Apple, se tornou mais fácil e simples.

O iPod é um marco no novo jeito de ouvir músicas – agora você pode escolher seus principais artistas e colocar em um dispositivo móvel. O iPod poderia ser o fim da harmonia entre as gravadoras e a Apple, entretanto, ao contrário, Jobs firmou importantes parcerias e revolucionou a indústria da música.

Com o iPhone e o ainda recente iPad, Jobs inaugurou a Era Pós-PC, em que os computadores deixaram de ser o eixo principal para conexão – o importante agora era ter mobilidade e acessibilidade de onde você estiver. Dispositivos altamente desenvolvidos, que lhe permitem uma interação nunca antes imaginada e que muda o jeito de comunicarmos, trabalharmos e nos relacionarmos.

Steve Jobs mudou, e muito, a indústria da tecnologia e o comportamento humano. Mais do que técnica, o CEO da Apple abalou estruturas convencionais da sociedade, por isso ele é considerado o ícone em inovação no planeta. Tão próximo de sua morte, é normal e comum que as pessoas ressuscitem a importância de sua pessoa e façam tantas homenagens.

Acredito que a Apple continuará inovadora. O DNA da empresa é o mesmo de seu criador, além dos sucessores terem convivido com Jobs. E por vários anos, todos se lembrarão do estilo de Steve, que por muitas vezes foi perfeccionista ao extremo, exigente e até mesmo autoritário, mas conseguiu fazer o inimaginável.

Assim como John Lennon, Elvis Presley, Leonardo da Vinci marcaram suas épocas e suas influências para o desenvolvimento da sociedade nunca foram esquecidas, Steve Jobs será lembrado por várias gerações. E suas frases, serão repetidas por muitos, desde empreendedores a estudantes, trabalhadores a pessoas do lar, mulheres, homens e crianças.

Afinal, quem não concorda? “Estou convencido de que a única coisa que me permitiu seguir adiante foi o meu amor pelo que fazia. Você tem que descobrir o que você ama” (Steve Jobs – 1955-2011)


Artigo publicado em 08/10/2011 no Jornal O Popular

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU