O trauma que virou negócio

 

No mundo do empreendedorismo é sempre bom ler histórias e estratégias que de alguma forma servem para inspirar. O site de venda de móveis e artigos de decoração  MadeiraMadeira é um deles.

Quem atua no e-commerce sabe das dificuldades desse setor, as empresas vivem uma luta constante para simplesmente conseguirem lucrar, e isso se deve principalmente por questões de logística, entregas e estoque. A CNova, por exemplo, informou que entre 2011 e 2015 perdeu cerca de 200 milhões de reais em razão do desvio de mercadorias de seus estoques.

Resolver esse tipo de problema ajudou na criação do MadeiraMadeira. Tudo começou depois que fechou a NovoPiso,  empresa do pai de Daniel Scandia que vendia pisos de madeira. Para vender os produtos do estoque Daniel montou um site e assim também veio a ideia de fazer algo novo. “Aprendemos com o que aconteceu e, sem recursos para comprar e armazenar produtos, resolvemos ser uma empresa leve, sem estoque”, afirma.

Ele juntou com o irmão, Marcelo, e começaram a fechar parcerias com os fabricantes de piso que conheciam para que eles entregassem os produtos diretamente aos clientes. – Essa foi a grande sacada para evitar problemas com os fornecedores, já que a empresa não possui estoques. Deu certo, e então eles passaram a vender outros artigos.

Em 2012, alguns fundos de private equity investiram e se tornaram sócios do MadeiraMadeira. Depois de visitarem as operações de outras companhias do exterior que vendiam móveis e decoração pela internet, como o Buil d o Watfair, eles passaram a investir muito em tecnologia. Um exemplo de recurso é “uma área de serviço no site em que os consumidores informam a metragem do imóvel e calculam a quantidade de material necessário para a reforma”, como cita a reportagem da Exame.

Atualmente são vendidos no site mais de 50 mil produtos diferentes. “É uma empresa mais de tecnologia do que de varejo, e isso tem funcionado”, disse Hernan Kazah, sócio do fundo Kaszek.

Decidir entrar em um mercado significa também entender quais são as oportunidades e os riscos daquela área. O planejamento é algo essencial, e neste deve conter o que de diferente você vai fazer para se destacar. Depois de estudar o que e como seus concorrentes estão fazendo é hora de focar novas estratégias para o seu negócio. E afinal, se você pretende ter resultados melhores do que o deles obviamente terá que realizar o que fazem de outra maneira, bem melhor.

 

 

*Assunto baseado na reportagem da revista Exame

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU