Varejo do futuro vai prever a lista de compras

 

“Nos próximos 20 anos, teremos mais mudanças tecnológicas do que já vimos nos últimos dois mil anos. E isso vale para qualquer setor da economia”.

A frase é do professor venezuelano José Luis Cordeiro, um especialista quando o assunto é sobre o futuro da sociedade. Cordeiro também é o diretor do Millenium Project, organização ligada à Universidade das Nações Unidas, e um dos fundadores da Singularity University, criação de uma parceria entre a Nasa e o Google.

Para Cordeiro a velocidade das mudanças causadas pela tecnologia vai aumentar significamente nos próximos. O segmento varejista é um dos setores que deverá oferecer novas experiências para agradar o consumidor.

“Cada vez mais, os supermercados terão de adotar tecnologias de big data como ferramenta de apoio estratégico, para descobrir o comportamento dos consumidores e suas expectativas. A ideia é que, ao entrar em uma loja, o consumidor seja avisado, por meio de novos dispositivos como óculos inteligentes, em quais prateleiras estão seus produtos preferidos”. Cordeiro completa. “Outras invenções, como a realidade virtual ou aumentada, poderão ser exploradas para vender roupas ou sapatos a distância”.

Com tanta coisa diferente vindo aí, causa até espanto nos varejistas pensar sobre o tamanho do investimento que será necessário fazer. Enquanto a isso, Cordeiro tranquiliza. “A história mostra que os preços das novas tecnologias caem com o passar dos anos. […] Grande parte do acesso ao conhecimento, nas próximas décadas, acontecerá via internet, que deverá ser universalizada e gratuita. Empresas como o Google e a SpaceX estão desenvolvendo novas formas de oferecer acesso sem fio à web, de graça e em banda larga”.

Essas previsões não dizem a respeito de mudanças que vão acontecer somente daqui 20 ou 30 anos. Pelo contrário, elas estão mais próximas do que imaginamos. Este ano de 2016, por exemplo, está sendo o período mais importante para a expansão da realidade virtual, as empresas que se aventuraram nesse nicho despertaram o mundo para uma nova perspectiva ligada a essa tecnologia. E como Cordeiro citou, companhias como Google, SpaceX e também o Facebook, estão se adiantando para produzir meios capazes de oferecer internet até mesmo em regiões mais remotas. Diante de todo esse avanço, acredito que a melhor das inovações será quando uma enorme parcela da sociedade global conseguirá ter acesso ao mundo virtual.

 

 

 

*Assunto baseado na reportagem do Jornal Valor Econômico

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU