Coisa nossa

 

Estima-se que o mercado de Internet das Coisas vai movimentar US$ 1,7 trilhão no mundo em 2020, segundo a consultoria IDC. Conheça as principais startups brasileiras que atuam nesse segmento.

Para relembrar: Internet das Coisas é a capacidade de qualquer objeto ou equipamento conectado à internet trocar informações e interagir com outros dispositivos inteligentes. Tem outros textos aqui no blog que eu falo sobre esse assunto, como ‘Rede inteligente sustenta internet das coisas’ e ‘Internet de tudo começa a ganhar forma’.

Outro número que impressiona é da americana EY no qual afirma que as empresas desse setor já atraíram desde o início de 2014 mais de US$ 37 bilhões de investimentos de companhias e fundos de participação.

Conheça as empresas brasileiras que estão se destacando nesse ramo:

  • Nexxto: a startup criou uma solução de rastreamento de ativos de tecnologia de grandes empresas. Ela está perto de receber um investimento do fundo de Inovação Paulista (FIP) e depois disso pretende expandir os seus negócios, como no desenvolvimento da Smart Tag, que são etiquetas inteligentes, roteadores, sensores e softwares que podem ser instalados em qualquer local. Elas avisam, por exemplo, quando há vazamentos de gás ou água.
  • BovControl: a empresa criou uma solução para o controle de gado. A ferramenta conta com balanças, chips e brincos que coletam dados completos e georreferenciados dos animais. As informações são enviadas em tempo real para os smartphones dos donos do rebanho.
  • DEV Tecnologia: se especializou no desenvolvimento de plataformas completas de equipamentos, componentes e aplicações de Internet das Coisas para outras companhias. Uma das soluções é o Green Connect, que monitora indicadores como o índice ultravioleta e concentração de monóxido de carbono.
  • Denoz: ela pretende ser a plataforma por trás dos serviços de uma operadora e uma seguradora. A empresa também quer consolidar sua oferta de tecnologia que permitem desde a gestão do fluxo de movimento em lojas até o monitoramento da temperatura de equipamentos, como freezers e geladeiras.

Por enquanto, nós não estamos vendo grandes anúncios ou revoluções desse segmento, mas ao saber que já foram investidos cerca US$ 37 bilhões nessa indústria, a história fica diferente. É como se Internet das Coisas estivesse crescendo silenciosamente e, de repente, ela irá mostrar como a nossa vida irá mudar radicalmente quando quase tudo e todos estiverem conectados com o mundo virtual.

 

 

*Assunto extraído da Revista Isto É Dinheiro

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU