Tim Cook e a Apple

Comentário da matéria “Tim Cook e a Apple”

Jornal Valor Econômico

 

O artigo do Jornal Valor Econômico mostra alguns trechos do novo livro “Haunted Empire: Apple after Steve Jobs” (Império assombrado, a Apple depois de Steve Jobs), escrito pelo repórter Kane, do The Wall Street Journal, que relata a dificuldade de Tim Cook, para assumir seu próprio estilo de liderança frente à Apple.

Após Cook assumir o posto de diretor-presidente da Apple em 2011, depois do falecimento de Steve Jobs; analistas, investidores, a mídia e o público se voltaram às atitudes do novo presidente. Será que ele conseguiria continuar com a brilhante trajetória de Jobs? “Como alguém seria páreo para um visionário tão brilhante que mesmo a morte não conseguia desvanecer?”

O artigo também descreve a maneira disciplinada e rígida que Tim Cook dirigia sua área. “As reuniões semanais (que podiam durar até seis horas) podiam ser apavorantes”. Mas que mesmo assim, era uma pessoa muito generosa. Trabalhava como voluntário no feriado de Ação de Graça, e ajudava a levantar dinheiro para o combate à esclerose múltipla.

Após algum tempo frente à Apple, Cook já se comunicava mais com os funcionários e até almoçava no restaurante da empresa com outros funcionários que nem conhecia. Apesar de tantos questionamentos, Tim Cook é sim um grande líder, e não cabe a nós sempre comparar as suas atitudes com as de Steve Jobs.

 

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU