Conselho Federal de Medicina regulamenta ‘uber dos médicos’

O Conselho Federal de Medicina declarou ser ético o uso do chamado “uber da medicina”, serviço em que o paciente pode chamar um médico por meio de um aplicativo e o atendimento é realizado em casa.

Disponível no Brasil desde 2016, até então os serviços ainda não tinham regulamentação específica para funcionarem.

O conselho exige que todos os profissionais inscritos devem ter Registro de Qualificação de Especialidade (RQE) para a área que vão atender. Isso significa que uma consulta na endocrinologia deve ser feita por profissional com registro na área.

Os profissionais também devem manter um prontuário acessível por outros médicos ou pelo próprio paciente.

O primeiro aplicativo disponível no Brasil, o “Docway”, hoje tem 2750 médicos cadastrados e está em 160 cidades e em todas as capitais brasileiras. Há também a empresa “DR. Já” e o aplicativo “Doctorengage” em funcionamento no país.
Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU