O grande mercado do amor

 

Programas que investem na paquera que começa no mundo virtual e se concretizam no ambiente real ganham força principalmente no mercado brasileiro. Aplicativos como o Tinder faturam cerca de 57 milhões de dólares.

Com 25 milhões de usuários ativos, o Brasil é o segundo maior público do Tinder, fica atrás somente dos Estados Unidos. A popularidade toma conta principalmente da geração Y, jovens entre 18 e 35 anos.

O Tinder é a maior promessa de seu dono, o Match Group, que possui outras 44 marcas relacionadas à busca de parceiros na internet. Em nosso país, opera os sites ParPerfeito, para o público em geral, Gencontros, para o público gay, e Divino Amor, para os evangélicos.

Outro grande concorrente é o francês Happn que já possui 11 milhões de usuários no mundo. O Brasil é um dos principais focos do programa já que é o seu maior mercado, com 1,7 milhão de usuários.

Com essas ferramentas ficou mais fácil encontrar um parceiro. Apesar de todos serem relacionados à questão afetiva, cada um possui suas características e o domínio de uma faixa etária. Quem sabe dê realmente certo encontrar em um desses sites ou aplicativos o seu futuro namorado (a), mas ter cuidados com essa busca é de extrema importância. Coisas básicas podem evitar transtornos, como não passar o endereço da sua casa e sempre preferir encontrar em locais públicos.

 

 

 

*Artigo baseado na reportagem da revista Exame

 

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU