Nós e os robôs

Há quem afirma que os robôs irão “roubar” os nossos empregos, por outro lado têm especialistas dizendo que isso é insustentável. E você, qual a sua opinião?

A consultoria McKinsey fez uma estimativa que 60 milhões de empregos industriais em escala global deverão ser substituídos por robôs até 2025. Já um estudo recente feito pelo Centro de Performance Econômica, da London School of Economics, vai contrária a essa ideia e afirmou que com os robôs alguns trabalhadores poderão até mesmo registrar uma elevação salarial.

Vimos que a adoção de robôs nas linhas industriais aumenta a produtividade, amplia o tamanho dos negócios e permite que os trabalhadores substituídos por robôs encontrem novas ocupações dentro das próprias empresas [daí o motivo do aumento]”, explicou Georg Graetz, um dos economistas envolvidos na pesquisa da LSE.

Contudo, esse aumento serviria apenas para funcionários altamente qualificados, com os outros trabalhadores de baixa e média qualificação essa tendência é contrária.

Os filmes que retratam a eficiência e a expertise dos robôs sempre nos fascinaram. Por que será? O icônico nisso tudo é que as cenas onde robôs fazem cada vez mais parte do nosso dia a dia – de forma positiva ou não -, estão ganhando espaço no mundo real não apenas dentro das indústrias, mas em restaurantes, hotéis, entre outros. Como você acredita que serão daqui uns 10 anos? Diga-me suas previsões.

 

*Assunto extraído da Revista Exame

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU