Tecnologia avança dentro e fora dos gramados

Fonte: Jornal Valor Econômico

 

“Está é, sem dúvida, a Copa mais tecnológica de todos os tempos”. Essa é a conclusão do Jornal Valor Econômico – e a minha – ao presenciar nesses dias de jogos tanta tecnologia e inovação.

Sistemas e equipamentos de vários tipos estão sendo usados massivamente na Copa do Brasil para tarefas como:

  • Monitorar a performance de atletas: Brasil, Croácia, Alemanha e outras seleções têm usado sensores para monitorar o desempenho de seus atletas, levantando dados como velocidade, distância percorrida, frequência cardíaca, entre outros dados.
  • Manter a temperatura do gramado: No Itaquerão, em São Paulo, um programa de resfriamento inédito no mundo mantém a grama sempre na temperatura ideal (cerca de 23°C).
  • Prever o clima: novas ferramentas, como radares de última geração, permitem, por exemplo, ao Comitê Organizador da Copa, em cada cidade, receber previsões meteorológicas até três horas antes dos jogos, e duas horas depois.
  • Atestar se uma jogada resultou em gol ou não: o sistema de detecção, também conhecido como tecnologia de linha de gol, gera avaliações e avisa ao árbitro caso a bola tenha entrado no gol.

Além dessas tecnologias, nunca se presenciou tanta mídia online em uma Copa do Mundo. Através dos smartphenes e tablets, os torcedores enviam na internet milhares de fotos, vídeos e comentários sobre tudo o que rola antes, durante e depois das partidas.

Estamos vivendo um momento histórico. Você se lembra que na última Copa não existia nem o Instagram e o Whatsaap? O Facebook já havia se formado, mas convenhamos, a rede social não era lá essas coisas. A forte presença da tecnologia me faz imaginar como seria possível vivermos hoje sem ela.

 

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU