Apple, Facebook, Google e Alibaba vão a Hollywood

 

Ocupar o posto de titã da tecnologia talvez nunca tenha sido tão trabalhoso como atualmente. Não basta liderar algum nicho – de smartphones, computadores, e-commerce, etc – tem também que agir como um polvo: atuar em negócios de diferentes áreas, sempre atento às oportunidades e tendências.

Depois que a Netflix e a Amazon provaram que o mercado de entretenimento é vantajoso – e lucrativo -, outras companhias cresceram o olho nesta indústria e entraram na disputa. São empresas como Apple, Google, Alibaba e Facebook (além do Twitter, Snapchat, Verizon e AT&T).

Apple -> Planeja exibir séries de TV em produções próprias através de um aplicativo da Apple TV e no iTunes. Ao que tudo indica, ela pretende oferecer entretenimento como se fosse uma TV. As intenções também abrangem a produção de filmes curtos, vídeos de música e documentários para promover seu serviço de streaming, o Apple Music.

Google -> Por possuir o Youtube como parte dos negócios de sua holding, a Alphabet, a empresa já tem certo entendimento desse mercado. Através do seu canal Red Originals lançado há pouco tempo, o Youtube planeja lançar programas de TV, filmes e músicas exclusivas para os assinantes. Ele também desenvolveu seu streaming, o Connect.

Facebook -> Mark Zuckerberg está apostando nos vídeos ao vivo exibidos na plataforma, o Facebook Live. Para isso está até mesmo remunerando algumas celebridades para utilizar a ferramenta. Ele também está tendo sucesso ao negociar com estúdios e redes de TV para utilizar a rede para lançar trailers e outros conteúdos, a rede de TV E!, por exemplo, já tem um programa ao vivo de fofocas exclusivo no Facebook.

Alibaba -> Parece que a companhia chinesa foi um pouco mais longe. Ela criou sua própria unidade de produção, o Alibaba Pictures, e já promoveu o filme Missão Impossível 5: Nação Secreta, que rendeu US$86 milhões no fim de semana de lançamento na China. O seu fundador e atual presidente do conselho, Jack Ma, declarou que pretende tornar a empresa na maior do mundo em entretenimento. O Alibaba também fechou acordos com a Disney e Lionsgate para exibir suas obras em TV por assinatura na China.

Com um time tão pesado como este investindo no entretenimento é certo essa indústria deve estar um pouco apavorada. Acredito que seja o início de uma grande revolução no mundo da mídia. Como um fã declarado da Apple, tenho convicção que suas produções não vão decepcionar, e afinal, com um caixa de US$ 216 bilhões é possível fazer muita, mas muita coisa bacana mesmo. Hollywood que se segure, porque as gigantes tecnológicas chegaram pra ficar.

 

 

 

*Assunto baseado na reportagem da revista HSM

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU