Em 2016, tecnologia será ainda mais pessoal

 

A tecnologia deixou de ser apenas do viés das organizações e mudou seu rumo, ela está agora mais do que nunca voltada para o ser humano. Vejam quais são as dez tendências tecnológicas para 2016, segundo o jornal Valor Econômico.

Praticamente todos os tópicos listados do jornal foram assuntos comentados aqui no blog, em cima de cada nome vocês poderão acessar os principais artigos relacionados ao tema.

  • Internet das coisas: elas são um conjunto de tecnologias capazes de conectar aparelhos e objetos entre si através de sensores. A consultoria Gartner estima que cerca de 6,4 bilhões de dispositivos estarão interligados até o fim de 2016.
  • Cidades inteligentes: As Organizações das Nações Unidas prevê que em 2020, 66% da população mundial irá viver em áreas urbanas. A saída disso será criar cidades inteligentes. Nova York tem se tornado um laboratório neste sentido.
  • Inteligência artificial: as máquinas vão evoluir ainda mais. Tem-se como exemplo o supercomputador Watson, da IBM, que já está sendo usado para combater doenças como diabetes e câncer, e monitorar mulheres grávidas.
  • Realidade virtual: veremos muitos lançamentos neste ano. O Rift, da Oculos VR, companhia comprada pelo Facebook. A Sony planeja lançar o PlayStation VR. A Microsoft, com o HoloLens. Há ainda outros modelos que já estão no mercado, como o da Samsung e do Google.
  • Drones: os drones já estão sendo usados nas mais diferentes funções, como em casamentos, no campo, no cinema e TV, por militares e etc. Agora esses equipamentos começam a ganhar regras sobre seu uso, o que deve ampliar a presença deles no dia a dia.
  • Híbridos: é uma nova categoria de equipamentos que começa a atrair os consumidores. Eles combinam o poder de processamento dos PCs com vantagens típicas dos tablets, como a facilidade de uso.
  • Dinheiro digital: nós veremos uma “digitalização” do dinheiro. Até março espera-se que chegue ao Brasil o Samsung Pay. A Apple e o Google também estudam nosso mercado. Há também startups financeiras, como o Guia Bolso e o Nubank.
  • Blockchain: a moeda virtual Bitcoin trouxe um sistema de registro de transações praticamente imune a fraudes, é o Blockchain. Há quem diga que ele pode mudar radicalmente a forma como as empresas fazem negócios ao reduzir a burocracia.
  • Múltiplas telas: a multiplicação das telas – PCs, notebooks, smartphones, tablets, TVs conectadas, etc – causaram transformações também na produção de entretenimento. O Netflix, por exemplo, foi o campeão de indicações do Globo de Ouro.
  • Leis da web: muitas dúvidas ainda permearão o mundo digital, como: o que fazer quando regimes autoritários pedem a empresas de internet que identifiquem adversários políticos, sob a alegação de que são criminosos?

 

O jornal tem habilidade para afirmar essas tendências, e não se pode descartar que das dez previsões do ano passado oito se concretizaram. De qualquer forma, está faltando mais alguma questão nesta lista?

 

 

*Assunto extraído do jornal Valor Econômico

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU