Sistemas de gestão mais inteligentes

 

Engarrafamento no trânsito, escassez de água, conta de energia alta, apagão em algumas regiões, enchentes, desmoronamentos por causa da chuva: esses são alguns dos problemas de algumas cidades. Problemas esses que podem ser resolvidos e amenizados com uma gestão mais tecnológica.  

É isso que tem feito algumas capitais do Brasil, e do mundo. Por exemplo, no Rio de Janeiro os sistemas como o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal e o serviço de ambulância que antes funcionavam de forma independente foram unificados em um único centro inteligente com o objetivo de conter os tipos de problemas citados acima.

“Os sistemas inteligentes, com o tempo, passarão a criar uma memória de gestão, permitindo administrar a cidade de forma eficiente”, explica Antônio Carlos Dias do Programa Smarter Cities.

Ao invés de cada unidade de uma cidade trabalhar de forma independente, ocorre uma junção de todas elas afim de cada uma contribuir com seus dados e ao final, produzirem resultados que vão beneficiar no comando da região. Além disso, os sensores e os sistemas de dados tecnológicos instalados podem oferecer informações valiosas, resolvendo problemas que envolvem o tráfego ou simplesmente identificando luzes apagadas da iluminação pública.

Todos podem contribuir nesse aspecto, tanto as pessoas e empresas ao desenvolver aplicativos e outras tecnologias, como os governantes realmente se propuserem a adotarem modernos sistemas para tornar a gestão das cidades mais eficiente, contribuindo assim com a qualidade de vida dos cidadãos.

Escrevi no início desse mês um texto em que comento sobre essa questão, e de como funciona esse tipo de sistema na redução do custo da nossa energia elétrica. Confira: http://ow.ly/U2yQx

 

 

*Assunto extraído do Jornal Valor Econômico

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU