Um nicho só dele

 

O mercado global de drones já está valendo 14 bilhões de dólares. Nesse segmento uma brasileira tem se destacado, é a Xmobots que consegue através de seus aviões não tripulados até mesmo identificar plantas doentes e eliminar pragas nas lavouras.

O uso dos aviões não tripulados vem crescendo e oferecendo diversas possibilidades de uso. Quem mais tem se destacado nessa área é gigantes como a Sony – desenvolve drones para vigilância – a Amazon – utiliza para entregas – e a Qualcomm – testa drones para transportar dentro das fábricas -. Por outro lado, é no mercado da agricultura que pequenas empresas também ganham seu espaço. Um exemplo é a XMobots, com sede em São Carlos, no interior de São Paulo.

A brasileira faturou 6 milhões no ano passado, e pretende duplicar esse valor em 2016.  A XMobots fabrica drones que são equipados com oito softwares que executam serviços como monitorar lavouras, analisar relevo de fazendas, vigiar desmatamento e contar rebanhos bovinos. Através de um sistema infravermelho, por exemplo, eles conseguem identificar plantas doentes e combater as pragas. Uma grande vantagem é que esses drones possuem uma das maiores autonomias de voo no mundo.

Como já vimos aqui no blog, os drones estão sendo usados em diferentes mercados, como para fins militares, assistência médica, para filmar e fotografar casamentos, entre outros. O problema dessa poderosa tecnologia é ela ser usada de forma negativa, como enviar drogas para presídios ou servir como bombas. Hoje vimos à atuação desses aviões não tripulados nas lavouras. De fato, as vantagens são enormes, mas para os pequenos agricultores parece ser inviável devido ao preço salgado. A XMobots, por exemplo, possui três tipos de drones que custam entre 170 mil a 450 mil reais.

 

 

*Assunto extraído da Revista Exame

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU