Aplicativos identificam quem está chamando

Entre as coisas que nos aborrecem com certeza podemos citar as ligações das empresas de telemarketing para propagandas ou assuntos não tão importantes. Nada tão desagradável como ser incomodado por gente indesejada. Para isso, temos a tecnologia a nosso favor.

Acredito que muitos já tenham se aborrecido com ligações abusivas de operadoras de telemarketing, bancos, cobranças. Ou até mesmo se surpreendido com ligação de um número estranho que faz ameaças contra familiares – o famoso golpe feito de dentro da prisão.

É para combater isso que novos aplicativos estão surgindo. Conheça alguns deles:

  • True Caller: ao receber uma ligação suspeita o usuário precisa fazer uma consulta na base de dados do app. Se o número já estiver cadastrado, o usuário é avisado do que se trata. O programa também identifica algum tipo de fraude. Já são mais de 242 números ‘odiados’. – Disponível para Android, iOS e Windows Phone.
  • White Pages ID: faz o reconhecimento imediato do número suspeito, desde que, claro, alguém já tenha denunciado anteriormente. O software também traz outros recursos, como o número que você mais ligou ou quem te ligou mais vezes. – Disponível para Android, e em breve para o iOS.
  • Hello: desenvolvido pelo Facebook, todo vez que alguma pessoa com uma conta na rede social ligar para você, ele será identificado, mesmo que não esteja na sua lista de amigos. Ele também mostra quantos amigos você tem em comum com a pessoa que está ligando. – Disponível para Android.

Infelizmente essa prática das operadoras de telefonia é muito comum, já presenciei amigos comentando do abuso de operadoras que chegam a ligar três vezes ao dia. Os apps nos ajudam muito a evitar esse desconforto, mas nós devemos principalmente registrar essas reclamações em órgãos de defesa do consumidor.

Esses tipos de aplicativos que funcionam com a colaboração vêm crescendo muito, recentemente citei aqui no blog o app “Onde fui Roubado”. É essencial que cada cidadão faça sua parte denunciando tudo o que acontece, isso acaba beneficiando a sociedade como um todo, seja para evitar práticas abusivas de empresas ou para ajudar a combater o crime.

 

*Assunto extraído do Jornal Valor Econômico

Compartilhe no Google Plus

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MENU